Minhas últimas leituras

by - março 03, 2022


Já faz um tempo que a minha relação com os livros mudou um pouco. Eu ainda amo ler, mas tô encarando a leitura de uma forma mais leve e não mais como praticamente meu único hobby. 
Eu tinha esse blog basicamente para falar de livros, então me cobrava para ler mais e escrever resenhas. Também cheguei a ter parceria com uma editora por um ano e não quis repetir a experiência. 
Já faz muito tempo que não escrevo uma resenha e por mais que eu goste de compartilhar minha opinião sobre o que eu li, já não acho mais que consigo. Antigamente, quando acabava de ler um livro, estava louca para sair escrevendo sobre ele, contar sobre sua história, as palavras fluiam bem mais facilmente quando eu começava a escrever....hoje não faço mais do que dar uma nota no Goodreads ou no Skoob. 

Sinto que estou meio bloqueada para escrever, mas queria registrar minhas leituras aqui também como fazia antes. Então vou tentar fazer esse post de tempos em tempos. Um tempo variável, não mensalmente como era antes. E pode ser que não escreva nada mais do que um "Gostei" ou "Não Gostei", mas pode ser também que acabe me animando mais para escrever. Quem sabe. 

————- ♡ ————-


Terminei 2021 lendo Quarto de Despejo da Carolina Maria de Jesus. E meu deus, que soco no estômago, na alma...Essa leitura para mim foi muito pesada e desesperadora. Ela se passa na década de 50, mas poderia muito bem ser agora. 

"Para mim o mundo em vez de evoluir está retornando a primitividade. Quem não conhece a fome há de dizer: "Quem escreve isso é louco". Mas quem passa fome há de dizer:
- Muito bem, Carolina. Os generos alimenticios deve ser ao alcance de todos.
Como é horrível ver um filho comer e perguntar: "Tem mais?". Esta palavra "tem mais" fica oscilando dentro do cerebro de uma mãe que olha as panelas e não tem mais. 
...Quando um politico diz nos seus discursos que está ao lado do povo, que visa incluir-se na politica para melhorar as nossas condições de vida pedindo o nosso voto prometendo congelar os preços, já está ciente que abordando este grave problema ele vence nas urnas. Depois divorcia-se do povo. Olha o povo com os olhos semi-cerrados. Com um orgulho que fere a nossa sensibilidade."

Parece cena tirada das páginas desse livro. Mais de 50 anos se passaram e a situação parece cada vez pior.


Depois dessa leitura, achei uma boa escolha ler Por Que Ocupamos?: Uma Introdução à Luta dos Sem-Teto, do Guilherme Boulos. Muita porcaria é dita sobre sobre o movimento de ocupação dos sem-teto. E sei que muitas pessoas acham que eles saem invadindo casas e que a próxima pode ser a sua. Mas é bem o oposto disso. Eu ainda tô longe de ser uma entendedora do assunto. Mas não acho que custa nos informarmos a respeito do que não conhecemos antes de julgar ou espalhar bobagens por aí. 


Kindred, da Octavia Butler, estava parado no meu armário desde que comprei. Meio escondido na verdade, porque ele veio todo amassado e sujo quando comprei e a loja não deu a mínima. Isso fez com que perdesse a vontade de ler por um tempo. Meio besteira, depois passou. Achei que iria gostar mais do que gostei. É um livro muito importante, retrata um período horroroso da história que ainda tem consequências (e muitas) até hoje. Mas, sei lá, não consegui ser muito convencida ou envolvida pela história. 


Evidence of the Affair, da Taylor Jenkins Reid foi a escolha para treinar um pouco meu inglês. Ele é curtinho e está disponível no Kindle Unlimited e como amei "Os Sete Maridos de Evelyn Hugo", achei que seria uma boa escolha. Ele é legalzinho, bem fluído e rápido de ler, mas não achei nada demais. Bom para passar o tempo. 



Por fim, li 2 livros que recebi quando assinava a TAG Inéditos: O Sol Mais Brilhante da Adrienne Benson e A Seca da Jane Harper. 
O primeiro se passa em alguns países da África e foi interessante descobrir mais sobre eles e sobre as diferentes culturas. Vira e mexe parava a leitura para pesquisar fotos no Google ou mais informações sobre o que tava sendo narrado. Mas no geral não gostei muito de nenhum dos personagens e achei a história arrastada. E tem uma outra questão: esse livro foi escrito por uma mulher branca que morou na África durante alguns anos da sua infância/adolescência e nunca mais retornou ao continente. Notei algumas descrições meio problemáticas e lendo outras resenhas, vi que tem outras questões ainda mais profundas que não notei. (exemplo)
Já A Seca é um thriller que me preendeu bastante. Aproveitei o Carnaval para ler e foi um bom entretenimento. 


You May Also Like

2 comments

  1. Que legal ver você voltando a compartilhar suas impressões sobre os livros que leu! E achei bem interessante e eclética a lista. Tenho muita vontade de ler Quarto de Despejo e, desses, só li o livro do Boulos, que acho uma leitura curta, simples e super interessante, que nos ajuda a ter uma melhor noção sobre esses movimentos ao invés de julgar com base em achismos, como você pontuou. Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  2. Eu preciso ler Quarto de Despejo, quero muito, mas sempre me pego evitando a leitura porque sei que vai me abalar muito. Sei que vai ser um soco no estômago mesmo e acho que a gente precisa disso de vez em quando, para sair da nossa bolha, da nossa zona de conforto. Não sabia que o Boulos tinha escrito esse livro, admiro muito ele e já coloquei aqui na leitura nos meus desejados. E A Seca também me chamou a atenção (mesmo você tendo falado pouco sobre ele).

    Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!