Eu demorei muito tempo para decidir escrever de verdade esse texto, assim como demorei muito para finalmente aceitar que eu não estava bem psicologicamente e buscar ajuda. 
As coisas foram começando devagar e sempre achava que era só um dia ruim e iria passar. Só que nunca passava. Por muito tempo achei que era fraqueza da minha parte ou que eu tinha me tornado uma pessoa preguiçosa e desinteressada pelas coisas. E de fato o desinteresse estava ali...em tudo. As coisas que antes eram prazerosas para mim, passaram a não me dar prazer nenhum. Tudo que eu sentia era um vazio enorme. Nada mais parecia ter graça ou me deixar feliz de verdade. Apesar de que dificilmente qualquer pessoa perceberia isso. Já que quase sempre estou rindo e conversando normalmente. Mas isso exige um esforço enorme. Não vou falar que eu nunca consigo me sentir bem ou me divertir. Isso acontece. Mas dura pouco e logo já começo a ficar ansiosa, agitada, o ar se torna pesado e difícil de ser respirado...mas continuo o que eu estou fazendo normalmente. Eu fiquei boa em usar uma "máscara social". Até por isso foi difícil para eu admitir para mim mesma que não estava bem. Afinal eu continuava fazendo as minhas atividades rotineiras, saindo de vez em quando. Só podia ser frescura da minha parte. 


Tinha na cabeça aquele esteriótipo de pessoa que tem depressão e fica no quarto chorando o dia todo. Achei que era sentir tristeza e não deixar de sentir. Eu sinto muita tristeza também...tem dias em que choro por derrubar o leite quando vou colocar no copo. Mas na maior parte do tempo o nada prevalece. 


Eu me sinto muito indisposta, cansada e pra baixo a maior parte do tempo. Minha memória e concentração estão péssimas e isso para quem tá estudando como eu não podia ser pior. Eu não consigo desempenhar bem minhas atividades por estar mal e eu fico mal por não conseguir fazer nada direito. E isso vai virando um maldito círculo vicioso. 

Tem dias em que eu estou um pouco melhor e outros verdadeiramente ruins em que eu passo as noites  chorando e fazendo listas mentais dos prós e dos contras de eu existir na vida das pessoas. E adivinhem? Os contras sempre ganham. No fundo eu sei que a vida não é assim racional e que as pessoas próximas a mim não pensam dessa forma...mas nessas horas tudo que eu consigo ouvir são aquelas vozezinhas na minha cabeça me lembrando do quanto eu não sirvo para nada. Eu sei que esse texto está com um tom bem vitimista, mas acreditem, não é nada disso que eu quero. Eu só queria colocar tudo isso pra fora. Não é nem com a intenção de que alguém leia, preciso disso para mim mesma. Para admitir que eu não tô bem e parar de passar por cima de mim como eu venho fazendo. 2016 foi um ano muito ruim e difícil para mim e eu ia piorando cada vez mais, mas nunca me permitia estar mal. E eu sei que ainda vai ser muito difícil eu fazer isso. Minha vida está passando e pensar em não fazer nada enquanto isso só me deixa pior. 

Eu tentei melhorar sozinha. Eu tentei MUITO melhorar sozinha. Via vídeos motivacionais, lia livros de auto-ajuda, comecei a meditar....fiz de tudo um pouco. No final, tirando a meditação, acho que o resto só piorou. Eu me sentia mal a cada vez que via uma pessoa que superou determinado problema (muitas vezes gravíssimo) e estava bem e eu não conseguia fazer o mesmo. Algo que temos o costume de fazer é uma competição entre os problemas. "O meu é pior que o seu", "o dela é pior que o meu" e por aí vai. Mas não é bem assim que as coisas funcionam. O problema de outra pessoa não invalida o seu. Ele não desaparece magicamente porque no "medidor de problemas" o outro alcançou uma nota maior. E eu pensei assim durante muito tempo. Eu me sentia mal-agradecida por não conseguir me sentir feliz ou motivada. Mas aos poucos estou tentando colocar na minha cabeça que não é por ingratidão (ou qualquer outra coisa do tipo) que me sinto assim. 

Ainda não comecei o tratamento porque estava indo atrás de tudo, mas em breve começo e estou esperançosa com o resultado. Sei que é um processo e uma luta diária, mas estou animada em pensar em sair desse lugar em que eu me encontro. 

Além do que eu falei lá em cima, quis escrever esse texto por conta do Janeiro Branco, que fiquei conhecendo recentemente. Eu acho que a saúde mental é muito negligenciada porque nem sempre é visível e não é algo muito fácil para outras pessoas que não sofrem com algum problema relacionado a ela entenderem. Psiquiatra ainda é visto como "médico de gente louca" por muitos. Acreditem, não faz muito tempo que ouvi esse comentário. 

E meu motivo final é por eu ter dado uma boa sumida de tudo. O fato de eu ter uma prova importante para fazer também tem contribuído com isso, mas na maior parte do tempo é por eu não ter me sentido com ânimo para escrever, ler outros blogs, etc. E como fui relativamente ativa por aqui no ano passado, não queria simplesmente parar de aparecer sem falar nada. Não acho que vou sumir sumir, mas vou fazer as coisas mais aos pouquinhos. E acho que é assim que vou levando as coisas também...um passinho de cada vez, até melhorar. E vai melhorar e vou parar de pensar que não sou boa o suficiente ou que eu não importo. 

PS: Eu ainda me sinto muito estranha escrevendo textos pessoais por aqui e nunca pensei que fosse escrever um TÃO pessoal assim. Tenho um pouco de vergonha de falar todas essas coisas. Mas escrever tudo isso foi a parte do meu dia que me deu mais alívio.