Apesar de amar a internet e tudo que ela nos proporciona, vira e mexe tenho uma necessidade de dar uma desconectada. Às vezes me sinto meio sufocada com a quantidade de informações com as quais somos bombardeados a todo momento. 

Há umas duas semanas ajudei meus pais a pintarem o apartamento e fiquei quase uma semana sem praticamente acessar nada, só fazendo trabalhos manuais. E isso foi tão bom! Eu sempre tive problemas pra dormir e eu mesma saboto o meu sono, enrolando o máximo que consigo até me render. Então quase sempre levo o celular para a cama e perco muito do tempo que eu poderia aproveitar dormindo, além de prejudicar bastante a qualidade do meu sono. Mas durante essa semana, quando chegava de noite eu estava tão cansada para ver qualquer coisa que simplesmente deitava e dormia. E olha, recomendo!

Esse ano não foi particularmente fácil para mim (e acho que pra muita gente também) e acabei usando a internet como uma válvula de escape, por ser uma forma fácil de "entretenimento" e não exigir que eu me concentrasse muito no que eu estava fazendo. Só que isso acabou se tornando quase um vício e estava me fazendo mal.

Nesses tempos comecei a ver Black Mirror e (além de me deixar perturbada) a série fez com que eu começasse a repensar algumas coisas, até em relação a esse blog. Ele surgiu como um hobby e ainda é isso, mas comecei a ficar mais preocupada com a divulgação e o alcance que ele estava tendo, do que com qualquer outra coisa. E no fundo, pra mim é muito mais importante saber que 1 pessoa leu e se identificou/gostou do que eu escrevi, do que ter inúmeras curtidas de pessoas que nem mesmo chegaram a ler. E falo isso com toda a sinceridade. Mas durante um tempo esqueci do que era verdadeiramente importante para mim. 
Aliás, vejam essa série!!!! O primeiro episódio da terceira temporada foi um dos que mais me fizeram pensar.


Coincidentemente o Flipboard me sugeriu por email na semana passada, uma matéria que trazia um estudo mostrando que o Facebook afeta negativamente os sentimentos das pessoas. E eu acho que isso se estende para as redes sociais no geral. Como esse episódio mostra, tudo que compartilhamos é muito filtrado. A maioria das pessoas só posta os melhores momentos, as fotos mais bonitas, dos lugares mais legais...quase tudo que é ruim, chato e doloroso fica escondido. E eu sei que é assim e você provavelmente sabe também, mas acabamos comparando nossa vida particular com a vida pública das outras pessoas. Eu pelo menos faço isso e acabo ficando frustrada em muitos aspectos. Claro que seu coleguinha ou aquela blogueira famosa que tá postando fotos incríveis também tem seus problemas e dificuldades, mas na hora em que estamos vendo sua timeline, tudo parece perfeito. 

Também já estava cansada de ver pessoas discutindo por tudo e por nada e se achando donos absolutos da verdade. Notícias boas sendo praticamente ignoradas, mas coloca uma foto xingando a Dilma (ou qualquer coisa do tipo) pra ver a atenção que vai receber. Grande parte das pessoas parece se alimentar de coisas negativas. Só sei que para mim estava fazendo mal. E com isso não quero dizer que vou me tornar uma pessoa alienada e fugir da parte ruim do mundo, mas não preciso ter isso jogado em cima de mim a cada instante. 

Deletei meu Twitter, apaguei o aplicativo do Instagram e tô entrando no Facebook o mínimo possível, só para ver as coisas que eu preciso em uns grupos. Faz pouco tempo (apenas alguns dias) que tô fazendo isso e tá sendo muito bom. Não tô falando que é errado ou julgando quem tem muitas redes sociais e gosta, mas para mim não estava sendo uma coisa positiva. Então decidi ficar o mais off que eu consigo durante um tempo, ou muito tempo. Fiquei pensando se isso afetaria o blog de alguma forma, por eu diminuir a divulgação e etc, mas se acontecer, paciência né?! Fiquei um tempo sumida daqui também, mas agora vou continuar escrevendo da mesma forma e acredito que quem gosta do que eu escrevo vai continuar acompanhando, e já tô mais que feliz com isso :)

Eu quase nunca escrevo textos pessoais, mas senti vontade de fazer isso. E nem sei direito onde eu queria chegar e se cheguei em algum lugar. Acho que queria mais conversar mesmo. E escrever realmente faz muito bem. É meio estranho porque parece que você está falando sozinha, mas mesmo assim faz bem. Pretendo fazer mais vezes.