Resenha: Simon vs. The Homo Sapiens Agenda

by - junho 02, 2016

Sixteen-year-old and not-so-openly gay Simon Spier prefers to save his drama for the school musical. But when an email falls into the wrong hands, his secret is at risk of being thrust into the spotlight. Now Simon is actually being blackmailed: if he doesn’t play wingman for class clown Martin, his sexual identity will become everyone’s business. Worse, the privacy of Blue, the pen name of the boy he’s been emailing, will be compromised.
With some messy dynamics emerging in his once tight-knit group of friends, and his email correspondence with Blue growing more flirtatious every day, Simon’s junior year has suddenly gotten all kinds of complicated. Now, change-averse Simon has to find a way to step out of his comfort zone before he’s pushed out—without alienating his friends, compromising himself, or fumbling a shot at happiness with the most confusing, adorable guy he’s never met.

Número de Páginas: 320
Autora: Becky Albertalli
Idioma: Inglês

Esse livro é tão bonitinho e gostoso de ler que fico até com dificuldades de falar sobre ele. Apenas tinha vontade de abraçá-lo durante a leitura. 
Simon é um adolescente de 16 anos gay e apesar de estar confortável com isso internamente, ainda não conseguiu contar para seus amigos ou sua família. Ele não faz isso necessariamente por medo de ser rejeitado por eles, mas sim porque não quer tornar isso um grande acontecimento, com todo "drama" e holofotes que sua família costuma colocar em tudo que diz respeito a ele. Ele também está cansado de ter que apresentar para todos que o conhecem uma nova versão dele mesmo a cada mudança pela qual passa. É como se todo mundo tivesse sua própria versão do Simon e ele fosse obrigado a descontrui-las. 

Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo uma cerveja. E, todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.

A única pessoa que sabe é Blue, um menino da sua escola com quem ele se corresponde por e-mail. Simon conheceu Blue por uma postagem anônima em um Tumblr da escola e desde então eles têm trocado mensagens. Porém, ambos não sabem quem o outro é de verdade. Tudo estava indo bem até que um colega da sala de Simon, Martin, aproveita de seu descuido e tira fotos das mensagens, ameaçando contar seu segredo caso ele não o ajude a se aproximar, romanticamente falando, de Abby, uma de suas melhores amigas. Simon se vê em uma situação extremamente difícil, porque mais do que proteger o próprio segredo, ele quer proteger a intimidade de Blue e de suas conversas com ele. 
Eu me identifiquei muito com o Simon, compartilhei de muitos dos seus questionamentos e ideias sobre o mundo e as pessoas. E até em alguns hábitos e gostos tínhamos semelhanças. Como se o livro já não fosse bom o suficiente, ainda têm várias referências a Harry Potter <3

Então, venho pensando nessa história de identidade secreta. Você já se sentiu preso dentro de si mesmo? Não sei se isso faz algum sentido. É que às vezes parece que todo mundo sabe quem eu sou, menos eu. 

Eu adorei acompanhar a troca de e-mails entre o Simon e o Blue. Eles eram divertidos e às vezes profundos também. Mesmo sem saber a identidade um do outro, a conexão que eles tinham era incrível. Também passei muito nervoso rs, principalmente depois que eles começaram a se envolver mais e demoravam uma vida pra responder certos e-mails e eu queria cada vez mais descobrir quem era o Blue. E mesmo antes de descobrir, eles já tinham entrado pro meu top 5 casais preferidos ❤ ❤ 

O livro traz diversas passagens que me fizeram refletir. Não só sobre questões ligadas à orientação sexual e como ainda tem muito preconceito e coisas erradas por aí, mas também sobre amizade, família e a vida no geral. Destaquei um monte de trechos durante a leitura e tenho vontade de compartilhar todos aqui, mas para não ficar uma resenha só de quotes, vou colocar apenas mais um. 

Ele falou sobre como você pode decorar os gestos de uma pessoa, mas nunca saber o que se passa na cabeça dela. E ter a sensação de que todos somos como casas com aposentos enormes e janelas pequenininhas.
(...)
Ele falou sobre o oceano entre as pessoas. E que o objetivo de tudo é encontrar uma margem até a qual valha a pena nadar. 

Eu li o ebook em inglês e achei o nível um pouquinho difícil. Não consegui entender algumas gírias e expressões, mas no geral isso não prejudicou a leitura. Não consegui transmitir aqui nem metade do que senti com esse livro, mas só queria dizer o quanto eu gostei e recomendar muito a leitura! 

Você também pode gostar de

0 comentários

Obrigada por comentar!