Autor: Rodrigo Assis Mesquita
Idioma: Português
Sinopse: Skoob
Avaliação:

Livro cedido pelo autor para resenha
Disponível na Amazon



Brasil Cyberpunk é uma minissérie dividida em 4 capítulos, sendo esse o primeiro. Nele somos apresentados a Hel, uma hacker que vive em uma São Paulo futurística e devastada após a Última Guerra. Nesse mundo, muitos humanos usam amelhoramentos em seus corpos, que consistem em partes robóticas que os deixam cada vez mais parecidos com um robô. 

Cauã, um amigo de Hel, a convida para participar, junto com um grupo de mercenários, de uma missão que consiste em juntar alguns artefatos do século XXI para preparar uma receita que um homem muito rico está disposto a comprar. Em 2115, grande parte da alimentação é feita através de pílulas e muitos dos alimentos como conhecemos hoje são proibidos e/ou raríssimos de serem encontrados. Hel hesita um pouco por ser uma tarefa perigosa, mas acaba aceitando por precisar do dinheiro.
Esse capítulo é bem curtinho e dá para ser lido de uma vez só, principalmente pelo ritmo fluído da narrativa. Eu nunca li nada do subgênero Cyberpunk e tive uma primeira experiência muito boa com esse livro. 

Não há uma explicação mais profunda sobre as tecnologias e as novidades presentes nesse mundo, como os amelhoramentos, mas não senti que isso era necessário. O autor soube introduzir e encaixar tudo de forma muito natural na história e em pouco tempo já me vi acostumada com o cenário pensado por ele. E achei até bastante possível esse futuro e fiquei com vontade de vê-lo mais explorado nos próximos volumes. 

O humor está presente em grande parte da narrativa e isso fez com que eu me divertisse bastante com a leitura, chegando a dar boas risadas. E o humor não está ali apenas para te fazer rir, em alguns momentos ele também traz reflexões. Há diversas referências a lugares (como o Distrito da Santa Ifigênia™) e coisas da atualidade, principalmente à cultura pop. E no caso, eu reconheci (e adorei!) as referências, o que não acontece com certa frequência.

Assim que Hel se levantou para ir embora, a jukebox começou a tocar um dos maiores clássicos da história da música mundial, If you wanna be my lover, das Spice Girls. 

Achei os personagens interessantes, principalmente a protagonista, mesmo que eles não tenham sido tão desenvolvidos nesse primeiro momento. Fiquei muito curiosa sobre o passado dela e adorei o fato de sua cachorrinha chamar Excel

Gostei do desfecho, principalmente de descobrir qual receita eles estavam tentando reproduzir e o nome que o autor deu para ela rs. Só achei que a história foi muito rápida, mas entendo que ela serve como uma espécie de introdução para os próximos capítulos, que continuarei acompanhando.

Recomendo a leitura!
Para quem também não está familiarizado com o Cyberpunk, recomendo a leitura desse post (O Que é Cyberpunk?) do blog Momentum Saga :)