Nem preciso falar como ler é uma das coisas que eu mais gosto de fazer desde sempre. Na minha infância e adolescência eu costumava devorar vários livros. Porém, quando entrei na faculdade esse ritmo caiu drasticamente. Meus livros foram trocados por livros de Cálculo, Física, Algoritmos...

Eu sempre tinha um tempinho entre as aulas e às vezes o tempo que sobrava do almoço, mas era difícil ficar levando o livro na mochila, porque já tinha que levar o material da faculdade e muitas vezes o notebook também. Eu sempre torci o nariz para leitores de ebooks, porque nunca gostei de ler no computador e achava que a experiência seria parecida. Além disso, eu amo a capa dos livros, sentir as folhas, o cheiro do livro novo, toda a experiência que o livro físico proporciona.


Ano passado, porém, mudei meu jeito de pensar. Eu vi um vídeo no blog Cocota Nerd sobre o Kindle e fiquei interessada nele. A partir daí comecei a ver 132391 de vídeos sobre esse aparelho e resolvi adquirir um. E nossa, foi uma das melhores compras da vida! Tanto é que indico o Kindle pra todo mundo que eu conheço.

Capinha linda que minha irmã fez pra mim <3

Como eu sou uma pessoa meio mão-de-vaca econômica quando se trata de comprar coisas pra mim, fiquei muito em dúvida se comprava o modelo mais básico (sem iluminação interna, sem touchscreen e com botões físicos) ou o Paperwhite (com iluminação interna, com touchscreen e sem botões físicos, com exceção do botão para ligar/desligar). Acabei optando pelo Paperwhite, porque consegui comprar um ainda na caixa, novinho, com desconto no grupo de vendas da minha faculdade. Mas agora que já tenho um, sei que ele vale muito a pena, mesmo sem desconto nenhum. Certeza que se algum conhecido tivesse um pra que eu pudesse testar, teria comprado sem ficar nessa indecisão toda, porque foi amor à primeira vista 

A coisa mais mágica do kindle é que lembra muito papel mesmo. Claro que não tem a sensação de tocar na folha, virá-la, mas mesmo assim se aproxima de um livro físico. A vista não cansa, o olho não arde...pelo menos eu nunca tive problemas com isso, diferentemente de quando tentava ler no computador/tablet. E o melhor de tudo é a praticidade. Ele é muito leve e cabe em qualquer lugar, então passei a levá-lo na bolsa sempre e ler toda hora que tinha um tempinho. 

Eu continuo gostando muito de livros físicos e comprando, principalmente os que têm uma edição bonita e caprichada. Mas os livros que não faço questão de ter na minha estante, opto por ler no kindle mesmo e com isso consegui voltar a ler bastante. Também prefiro ler livros grossos no kindle, por ser muito mais fácil de segurar e encontrar uma posição confortável para a leitura. 


Um recurso que também gosto muito no kindle é o dicionário, principalmente para ler ebooks em inglês para quem está começando, que é o meu caso. É só clicar na palavra que ele dá o significado (em inglês) e dessa forma você não precisa interromper a leitura para ir procurar a palavra no dicionário. Tento entender o contexto quando não conheço a palavra, mas tem vezes que não adianta. 

Não conheço os outros eReaders (apesar de acreditar que são semelhantes), mas o kindle é muito amor e eu definitivamente recomendo! Para quem tem preconceito como eu tinha, vale a pena testar e dar uma chance. 

15 truques para você usar (de verdade) seu Kindle