Você conhece a pessoa que mais ama no mundo?
Kate Baron achava que sim até receber a devastadora notícia de que Amelia, sua filha de 15 anos, cometeu suicídio pulando do telhado do colégio particular onde estudava. Poucos dias depois, entretanto, uma mensagem anônima em seu celular revela que a morte de sua filha talvez não tenha sido da maneira que as autoridades alegaram.

Amelia pode ter sido assassinada? Como advogada, Kate está determinada a descobrir a verdade e, para isso, mergulha no passado da filha, recolhendo cada fragmento de e-mail, cada linha dos textos do blog, cada atualização de status do Facebook.
Sempre um passo atrás da verdade, ela descobre um lado de Amelia que nunca imaginaria que existisse.
Este impressionante romance de estreia vai além de uma história sobre segredos e mentiras. Narra a busca de uma mãe tentando reunir cada detalhe possível para reivindicar a memória da filha que não pôde salvar.

                                   
Número de páginas: 352
ISBN: 9788580412857
Autor: Kimberly McCreight
Tradutora: Carolina Alfaro
Editora: Arqueiro 
Idioma: português 
Gênero:  Literatura Estrangeira - Romance/Drama - Thriller
★★★

Resolvi ler esse livro após indicação no blog Cocota Nerd por ser um dos meus gêneros preferidos e eu gostei bastante, com alguns pequenos poréns. 

Logo no começo do livro acompanhamos Kate recebendo a terrível notícia sobre a morte de sua única filha, Amelia, que aparentemente havia cometido suicídio. Kate é uma advogada de sucesso em Nova Iorque e mãe solteira e sempre fez o que estava em seu alcance para conciliar a vida de mãe com a vida de profissional e para compensar a ausência de um pai na vida de Amelia. Ela engravidou ainda na faculdade e foi pressionada por seus pais (pessoas super amáveis) a não levar a gravidez adiante, pois isso poderia estragar sua carreira profissional. Porém, contrariando a vontade deles e suas dúvidas, ela resolveu continuar a gestação de Amelia. Ela nunca contou a verdade para a filha sobre o pai e também só vamos descobrindo sobre ele no decorrer da história. 

Amelia era uma aluna e atleta exemplar, mas era uma pessoa um pouco solitária. Ela gostava mais de livros do que de pessoas (eu), tinha apenas uma melhor amiga e passou grande parte da sua vida na companhia de sua babá, enquanto Kate trabalhava. Porém, apesar da ausência constante da mãe, a relação das duas era muito boa e elas sempre faziam programas juntas nas horas livres. No dia de sua morte, Kate recebeu um telefonema da escola falando que Amelia havia sido suspensa e que a mãe deveria buscá-la imediatamente. Kate deixa uma importante reunião da empresa em que trabalha e vai para a escola da Amelia, porém acaba se atrasando e quando chega sua filha já está morta. A polícia afirma que Amelia cometeu suicídio impulsivo, provocado pela pressão de ter plagiado um trabalho de inglês e ser suspensa como consequência. Kate não acredita muito nisso, pois Amelia era uma aluna excelente e o trabalho era sobre sua autora preferida. Porém, ela fica tão, mas tão mal, que não chega a pensar em confrontar a polícia. 

Kate passa dias terríveis e decide voltar ao trabalho como forma de ocupar um pouco a sua mente e logo no primeiro dia recebe uma mensagem anônima dizendo que Amelia não havia pulado do telhado da escola. Imaginando ser uma brincadeira de péssimo gosto, ela decide ignorar a mensagem, porém outras continuam vindo, cada vez mais misteriosas. Kate decide então checar a investigação e descobre que ela foi feita às pressas e que o suposto "bilhete" de suicídio de Amelia, a palavra "Perdão" escrita no telhado, não havia sido escrita por ela. Ela decide então investigar o que realmente aconteceu com Amelia e acaba descobrindo fatos sobre a vida de sua filha que ela nem poderia imaginar.

Os capítulos do livro são alternados entre diferentes personagens. Temos capítulos atuais sobre Kate, narrados em primeira pessoa, a partir do dia da morte da Amelia, trechos de seu diário quando ela descobriu que estava grávida, conversas de celular de Amelia, postagens no facebook, e alguns capítulos contados pela própria Amelia, algumas semanas antes de sua morte. Também há postagens de um blog de fofocas da escola, chamado GrAcIoSaMENTE, de onde tirei um dos meus quotes preferidos da vida:

"Há muitas definições para a palavra idiota no dicionário. Não seja mais uma."

Achei muito interessante essa alternância de pontos de vista e acontecimentos, porque como o próprio título do livro sugere, vamos reconstruindo Amelia através desses vários fragmentos e descobrindo quem ela realmente era, porque "aluna e atleta exemplar" é uma descrição muito rasa sobre ela. Através das "memórias" de Amelia, ficamos sabendo quando ela recebeu um convite para entrar em um clube da escola, uma espécia de fraternidade, que supostamente deveria ser proibido. A partir desse convite, sua vida começa a tomar novos rumos e a própria Amelia passa por várias descobertas sobre si mesma.

Eu gostei muito da história e a narrativa me prendeu muito. Foi mais um daqueles livros que não consigo parar até descobrir o que aconteceu de verdade. Nem tudo foi surpresa pra mim, algumas coisas consegui imaginar/deduzir antes de serem reveladas, mas mesmo assim vários mistérios permaneceram até o final do livro. O que me incomodou um pouco foram as atitudes da Amelia a partir de um certo ponto. Apesar de me identificar bastante com ela e tentar entender que ela era só uma adolescente, com uma mãe ausente e uma melhor amiga egoísta e um pouco insuportável, eu tinha vontade de dar um chacoalhão nela pra ver se ela parava. Por mais que a adolescência seja a fase de ser inconsequente, algumas coisas que ela fazia estavam na cara que iriam dar muita merda prejudicá-la muito e mesmo assim ela ia lá e fazia. Alguns adultos me surpreenderam com o tamanho da falta de responsabilidade e de bom senso também, mais pro final do livro. Aliás, o final foi ok pra mim. Eu imaginava algo um pouco diferente e talvez melhor trabalhado, mas não foi nada que me fizesse ficar inconformada ou super decepcionada.

Resumindo: tirando esses pequenos poréns, o livro é muito bom e eu recomendo! Caso alguém já tenha lido ou se interessado em ler, me conte nos comentários (•◡•)

"Pensei em como é ruim ficar trancada do lado de fora; então pensei em como talvez seja pior ficar trancada do lado de dentro." - Virginia Woolf